Fábio Pellegrine - Contato

 

Natal

 

Vai chegando o final do ano,

as vitrines enfeitadas,

o vermelho e o branco,

o verde e o dourado

e todas as cores

que se possa imaginar

vestem as bolinhas brilhantes

que acendem o nosso olhar.

Pisca-pisca de estrelinhas,

brilho emprestado do céu...

Com muita ansiedade e alegria

esperamos papai-noel.

 

Gosto do Natal,

não porque acredito

que um velhinho barrigudo

e de barbas longas

vai descer pela lareira...

Mas porque a cada véspera desse dia,

durmo, sem querer dormir

e acordo sem preguiça de levantar.

Desembrulho meu sonho de novo

e isso me dá paz.

 

Re-olho as coisas que fiz,

as boas e as ruins.

Jogo fora os brinquedos velhos

da vida que não mais quis.

 

Renovo a minha esperança

nos sorrisos das crianças.

Lembrando que um dia eu fui

tão pequeno, tão puro e alegre,

que nem mesmo a mais pura neve

conseguia me entristecer...

 

É Natal, a celebração da vida.

É Natal, a manifestação do amor.

É Natal, a união da família

É Natal, o nascimento do mártir dos mártires,

o rei dos reis!

 

Pilatos, se o soubesse tão grande

se curvaria,

se ajoelharia,

aos seus pés,

suplicando uma nova chance:

Mandaria queimar todos os açoites,

cruzes e espinhos,

e cobriria Jesus de flores, as mais brancas

lírios, talvez...

Construiria-lhe um grande palácio

e seria seu mais fiel servo até seus últimos dias...

 

Mas não lembremos de morte,

Deus não quer assim...

Porque, Natal é tempo de vida,

de ter a certeza que

somos mais

que um amontoado de carne...

 

Debaixo dos galhos compridos e fortes,

repletos de folhas verdes e brilhantes -

guardados pela terra -

nós, sementes, crescemos.

Filhos da árvore universal!

 

Por isso, no dia 25 de dezembro,

ainda espero Santa Claus...

E no silêncio de minha oração,

escuto o assovio de Deus,

feliz, com seu filho amado

sentado ao seu lado

na noite de Natal.

 

Karine Alves Ribeiro - Dezembro/2011.


 
     
Site Desenvolvido por: